sábado, 30 de abril de 2011

Na chuva

Outra imagem, galera. Vamos participar... Qual perfume?

O perfume de Kate Middleton

Claro! Não poderia ser diferente, ? Se todos os detalhes foram cuidadosamente pensados, exclusivamente, para o casamento mais luxuoso e popular dos últimos tempos, por que com o perfume seria diferente. Foram criadas duas fragrâncias: uma para cada um dos pombinhos, por Kim Weisswang, com fama na elaboração de fragrâncias bem no estilo tradicional. Cada frasco traz medalhas (em forma de coração) com as fotos do casal. Nada se divulgou sobre valores ou sobre a fragrância. Infelizmente, pelo menos por enquanto, você não vai conseguir um exemplar, mas pode conseguir um perfume criado pelo mesmo nariz. Vai a dica: IRIS VON ARNIM, lançado para comemorar o 30º aniversário da marca. Composição oriental, quente e sensual.

domingo, 24 de abril de 2011

Roma

Um perfume clássico com toques originais. Foge completamente aos padrões clássicos franceses. Uma joia italiana que se torna inesquecível para quem tiver o prazer de experimentá-la. Roma carrega consigo todo o charme que envolve a cidade de mesmo nome. Seu frasco imita uma coluna romana, alaranjada pelo precioso elixir. Isso mesmo: um elixir. Uma poção que exalta o romantismo, a sedução e o requinte. Trata-se de uma fragrância oriental com saídas já muito envolventes e luminosas e que alavancam o perfume com intensidade: bergamota, groselha negra e menta. O corpo é divinamente floral: rosas, lírios, cravo e jasmim. Ao fundo, Roma é resinoso, balsâmico, contendo essências animais, âmbar, mirra, patchouly, sândalo e baunilha. É perfeito para as mulheres que desejam seduzir com requinte, sofisticação. Nada juvenil. Trata-se de um perfume maduro (fruta madura, alaranjada), cálido e estonteante. Evoca atmosferas antigas, roupas opulentas e damas muito seguras de si. Um espetáculo.

sábado, 23 de abril de 2011

Amarige de Givenchy

Um arranjo floral requintado no qual se percebem as mais femininas e exuberantes flores: rosa, jasmim, gardênia, orquídea, tuberosa e cravo. Não há como não ser notado e reverenciado. Tem acordes cítricos e frutais que abrem as cortinas para essas flores tão especiais, exalando alegria e doçura. Ao fundo, as notas mais densas e quentes de baunilha, âmbar e madeira dão um toque de sensualidade e refinamento. Amarige é o anagrama da palavra francesa mariage (casamento). Perfeito nome para um perfume em que a intensidade das flores estimula os sentidos de forma radiante e romântica. Por conter acordes intensos de madeiras, como o cedro, também é usado por homens. Amarige é uma grande obra da perfumaria e está entre os mais conhecidos da marca.

NOVIDADE

Olá! Estamos iniciando uma nova seção no blog: uma brincadeira e um exercício muito legal. Serão selecionadas algumas imagens inspiradoras e, como é sempre bom ter os leitores participando do blog, gostaria de que registrassem as impressões a respeito da fotografia e sua relação com algum perfume. Por exemplo: veja a imagem abaixo e diga que perfume estaria intimamente ligado a ela e por que. Assim estabeleceremos agradáveis contatos e trocas de ideias. Vai aí a primeira:







terça-feira, 19 de abril de 2011

Grés

Germaine Émilie Krebs (1903-1993), mais conhecida como Madame Grés lançou-se no mundo da moda em Paris, por volta de 1942. Era uma escultora e aplicou toda a sua técnica na criação de belos vestidos que encantaram figuras como Jackeline Kennedy, Greta Garbo, a Duquesa de Windsor, entre outras. O nome GRÉS vem do anagrama com o primeiro nome do marido, Serge Kzerefkov, pintor Russo. Oteve os mais aclamados elogios da crítica, mas vendeu seu negócio em 1980. A marca permanece e, além do reconhecimento mundial no ramo da moda, Grés também assina grandes perfumes, como Cabochard, Cabotine e Folie Dolce. Dizem alguns críticos que Madame Grés é uma das últimas verdadeiras aparições no mundo da alta costura.
Grés é um dos mitos de elegância, "...sempre vestida com um turbante de seda e uma tesoura pendurada no pescoço, odiava aparecer em público, e por isso não existem muitas fotos da mesma, mas sim de suas criações. Estas sim ela queria ver brilhar, impressionar e fazer todo o mundo conhecer".


segunda-feira, 18 de abril de 2011

Água e Pão

Água e Pão (Bahia)
Composição : Pedro Guerra/versão: Nelson Motta

Como o sol no fim do dia
Quando o mar bebe o seu fogo
Entre as ilhas e a Bahia
Como um rio, como fonte
Como um belo horizonte
Como porto, como o mar
Como o ar da madrugada
Como as pedras da calçada
Como o vento e a maresia
Como água, como pão
Como é bom tudo que vem
Sem se pedir
Céu lavado, luz de abril
Como quando estás aqui

Como o dia que amanhece
Com a luz criando espaços
Entre a sombra e a escuridão
Entre formas que se movem
Entre lábios que se beijam
Entre corpos que se dão
Como as flores nas varandas
E o perfume de jasmim
Acordando a cidade
Como água, como pão
Como é bom tudo que vem
Sem se pedir
Céu lavado, luz de abril
Como quando estás aqui

sábado, 16 de abril de 2011

Essencial Feminino de Natura

Que me desculpem, mas essa política de modernização da qual se valem algumas empresas de perfumaria acaba me irritando profundamente. Essencial Feminino, por exemplo. Ao contrário dos elogios que já verifiquei em alguns blogs parceiros sobre a nova fragrância, o novo Essencial não é uma reinvenção: é um perfume totalmente novo, diferente do primeiro, porém com mesmo nome. Trata-se de um chipre fresco que nada tem a mais do que certas colônias refrescantes, de uso pós-banho, com uma evolução rápida na pele, sem segredos. Os perfumes chipre são os meus preferidos, mas com delicados arranjos florais. Em Essencial, o que se nota são as nunces amadeiradas, lembrando muitos dos perfumes da mesma marca, em que se utiliza palo santo ou resinas, como breu-branco, por exemplo. Pouco inventivo. Ao contrário do original: uma fragrância contendo generosas notas de flores brancas, mediterrâneas, lembrando vagamente Dune de Dior. Era um verdadeiro Eau de Parfum. O que temos hoje é uma água fresca, que poderia ser vendida em garrafões de cinco litros.

Le Baiser Du Dragon

Criado em 2003, esse perfume seria, quase que paradoxalmente, um clássico moderno. Oriental e amadeirado, torna-se sedutor e arrojado. Le Baiser Du Dragon é cálido, quase inflamado, mas terno à medida que se acomoda na pele. Também é luxuoso: as notas de madeira, muito marcantes, se combinam com o amargor das amêndoas, a feminilidade das rosas, do jasmim e da gardênia. Ao fundo, nada mais que chocolate amargo, caramelo, patchouly, âmbar, resinas e madeiras. É um perfume para a grande mulher. Tem personalidade. É feminino, mas tem a rusticidade pulsante das madeiras. Uma obra que visita o imaginário. Uma fragrância com lugar garantido na memória de quem a conheceu. Nada convencional.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Essencial de Natura

Um perfume, no mínimo, original. Popularizou-se no Brasil. É uma fragrância fresca, marcante e atemporal. Essencial tem saída fresca, amadeirada e aromática, com um primoroso toque de especiaria, que não se esvai no decorrer do processo. Chama-me a atenção a combinação de lavanda e ervas, como sálvia, alecrim e manjericão, e madeiras menos quentes e mais perfumadas, como cedro. Há também as notas montanhosas do junípero, da família dos pinhos, que têm alto poder de projeção, ou seja, exalam à vontade.
Vale lembrar que toda essa combinação é assegurada pelo poder das resinas: mirra e galbanum, que atribui uma densa e marcante virilidade à fragrância.
Um perfume que deixa rastro sem incomodar os narizes mais delicados. De tanto frescor, chega quase a ser mentolado. Para qualquer ocasião.
Uma boa opção, não tão barata: há perfumes importados de altíssima qualidade com preço até mais baixo. Entretanto, vale arriscar com um brasileiro, não é?

sábado, 9 de abril de 2011

A velha novela: Opium e Publicidade.

Mais uma vez a propaganda de um dos perfumes da famosa grife Yves Saint Laurent causou incômodo. O fato se deu na Grâ-Bretanha, onde o órgão regulador de publicidades interrompeu a execução de um comercial do perfume Belle D'Opium, alegando que as imagens faziam apologia ao uso de drogas. A cena retrata uma mulher passando a mão no antebraço, como se indicasse, segundo as críticas, o local onde se injeta a heroína. Ao fundo, uma voz que diz: "Eu sou o teu vício". A empresa Yves Saint Laurent alega que o que se vê é um apelo sensual e não uma referência ao uso de drogas. Segundo a empresa, o gesto da modelo representa o fluxo de energia que percorre o corpo. A essência da vida.

Esta é a segunda vez que brecam uma publicidade da marca. Da primeira vez ocorreu com o tradicional e consagrado Opium. A cena trazia a imagem de uma pessoa em meio à fumaça, lembrando a cena torpe de alguém consumindo opium (nome que se dá a um produto obtido da secagem do látex da papoula, usado para a fabricação de morfina e heroína). Confira o vídeo:

Fonte: portalflavour.com

Opium

Um perfume que marcou a história da perfumaria, causando impacto, rejeições e sobrevivendo ao tempo, consagrando-se para a eternidade. Ao lado de Chanel 5, Shalimar, L'Air dus Temps, Opium está entre os mais famosos perfumes do mundo. Foi criado no fim da década de 70 e marcou definitivamante a entrada dos orientais na perfumaria. Causou incômodo com sua publicidade que fazia alusão à droga de mesmo nome, mas depois caiu no gosto das mulheres mais refinadas e exigentes. Opium é um apelo sensual. Evoca os mistérios orientais. É refinado e marcante e bastante diferente, principalmente para os padrões da época. Há os que dizem ser uma inspiração de Youth Dew, de Estée Lauder, mas este não imortalizou a tendência assim como Opium. Este precioso perfume contém especiarias como louro, canela e pimenta, dando-lhe a picância bem dosada e envolvida por acordes de laranja, jasmim, rosa e ylang-ylang. Também conta com mirra e incenso, que lhe conferem um efeito esfumaçado e antigo, e com a baunilha e todo o seu doce calor. O seu frasco, imitando a cor do ouro e laca vermelha, faz referência ao Inro, caixa onde se guardavam folhas de opium. Uma fragrância sofisticada, marcante e totalmente original. A mulher de Opium seria fatal na década de 70. Hoje é uma dama com muitas histórias pra contar... E muito por viver.

Alfazema e Lavanda

Na verdade, a alfazema (Lavandula latifolia) é um dos vários tipos de lavanda existentes. Possui um odor canforado e isso a diferencia das demais espécies do gênero. A lavanda é uma planta pequena, com flores espigadas, geralmente de cor roxa ou violeta, que floresce em várias partes do mundo. A região de Grasse, na França, é uma das maiores produtoras dessa matéria-prima tão comum em composições aromáticas. Seu óleo essencial tem grande poder sedativo e calmante e, por isso, é muito usado em aromaterapia. A lavanda oficial (Lavandula Angustifolia) é também conhecida como lavanda inglesa e fornece o óleo essencial mais utilizado na perfumaria. Também conhecida como Nardo, a lavanda é um dos principais elementos constituintes de um perfume, seja ele feminino ou masculino. Atua nas notas de saída e tem um odor que marca principalmente os perfumes masculinos na composição de fragrâncias da família fougère. Diz-se que, antigamente, os homens, ainda avessos ao uso do perfume, por se tratar de um cuidado tipicamente feminino, usavam lenços embebidos com lavanda, pois seu aroma não tem forte apelo floral, além de ser fresco e levemente selvagem. Há uma planta comum em nosso país, conhecida como alfazema-do-brasil. Cresce em forma de arbustos, desgalhados, com flores brancas. Esse tipo de "alfazema" é mais utilizado na área medicinal.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Animale for Women

Criado em 1987, aí está um perfume que não passará despercebido. Para quem aprecia uma fragrância marcante e muito intensa. Animale faz parte do grupo chipre-floral, contando com notas de saída muito intensas, graças ao poder aromático do coentro alavancado por notas florais, verdes e cítricas. O corpo é feminino aos extremos: rosas, jasmim, ylang-ylang e mel.. Essa combinação marca a personalidade desse perfume como em poucos. Ao fundo, o coco e o patchouli, acompanhados de essências de origem animal, dão o calor à fragrância e seu apelo ferino. Animale tem um efeito devastador e deve ser usado com parcimônia. Cria-se uma atmosfera feminina intensa que emana ondas florais envoltas em contrastes chipres (a bergamota e o musgo de carvalho executam seu papel com perfeição). O que fica é o rastro e o desejo de aproximação. Perfeito para o inverno. Tem seguidores fiéis. É um perfume da noite. Há aqueles que dizem ser muito apelativo. O que ocorre é diferente: deve ser encarado como um perfume pouco casual. Plus érotic que romantique. Fatale. Animale.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

VIOLETA TEM CHEIRO?

Muitos já me perguntaram: como a violeta pode ser matéria-prima de perfumes se suas flores não têm cheiro? Na verdade, a violeta que nós, brasileros, conhecemos e cultivamos para enfeitar casas e jardins é uma espécie africana. A violeta perfumada é de origem europeia. Esta tem folhas lisas e ovais. Suas flores são de um roxo intenso enquanto que a africana pode se apresentar em diversas cores. A violeta odorata, além de produzir óleo essencial, tem poderes medicinais comprovados, principalmente como anti-inflamatório. Apresenta um perfume muito feminino, delicado, porém intenso. Acompanha a rosa e o jasmim em inúmeras criações já consagradas. Dizem que a pessoa que colher a primeira violeta odorata que se abrir na primavera encontrará um grande amor. Bem, deixando as crendices um pouco de lado, uma coisa é certa: grandes perfumes contendo esse maravilhoso ingrediente podem ser infalíveis (rsrsrs). Alguns deles: Euphoria by CK, J'adore by Dior, Eternity by CK, 5th Avenida by Elizabeth Arden, Cabotine by Grés. Agora, se você quiser sentir a violeta em todo seu esplendor, combinada com a rainha das flores, a rosa, tente Trésor by Lancôme e Paris by Yves Saint Laurent. Os masculinos mais ousados como Fahrenheit by Dior e Dolce & Gabbana for Men também contam com essa delícia.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...